TJ contempla atenção à saúde do servidor na LDO 2015

A administração do Tribunal de Justiça do RS (TJ) comprometeu-se a dar mais atenção à saúde mental e física do quadro de servidores quando da formatação do Orçamento de 2015. A sinalização veio por meio de ofício remetido, nesta semana, à Associação dos Servidores do Justiça (ASJ) assinado pela desembargadora Marilene Bonzanini, que preside o Conselho de Administração, Planejamento e Gestão (Conad). No documento, ela informa que foi inserido, no anexo de metas que integra o anteprojeto do TJ da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2015, objetivo específico como segue: “Promover e incrementar condições laborais que garantam melhor qualidade de vida no trabalho, protegendo a saúde de servidores e magistrados, objetivando bem-estar físico, mental e social.”
A desembargadora ainda explica que “passam a ser objetivamente contempladas demandas mais detalhadas contidas nesse objetivo genérico, como, por exemplo, política de combate ao assédio moral, ergometria no trabalho, ginástica laboral e medidas protetivas e preventivas”.
O pedido faz parte da pauta apresentada pelos representantes dos servidores do Judiciário à Administração em reunião no dia 25 de abril. A participação das entidades de classe na reunião do Conad vinha sendo pleiteada pela ASJ já há algum tempo e, finalmente, foi atendido pela Administração. Na ocasião, o alerta sobre os danos do assédio moral no Poder foi feito pelo Sindjus. Pauta que, há muito, também vem sendo trabalhada pela ASJ junto à Administração. Na gestão do desembargador Leo Lima, por exemplo, a ASJ cobrou, tanto em reunião quanto na imprensa, medidas urgentes para evitar a sobrecarga de trabalho que vinha resultado em alto grau de estresse nos cartórios. Na época, foi registrado, inclusive, óbito de alguns colegas. “A participação das entidades no Conad e a sinalização da desembargadora quanto à saúde do servidor é um sintoma de que há um caminho aberto à negociação. Já é um grande começo”, pontua o presidente da ASJ, Paulo Olympio.