Tire suas dúvidas sobre as diferentes vacinas da gripe

A Campanha de Vacinação contra Gripe 2015 começou e há muitas opções e preços no mercado. A principal dúvida dos gaúchos que estão procurando os postos de saúde e as clínicas é qual a diferença entre as diferentes vacinas. Para esclarecer mais sobre o assunto, a ASJ organizou para você um Guia de Vacinação. Acompanhe aqui tudo o que você precisa saber para ficar saudável neste inverno. “As pessoas estão procurando bastante. Nosso clima aqui no Rio Grande do Sul é propício para essas doenças e a época ideal para atacar a gripe é agora”, recomenda a gerente administrativa da Imunoclin, Patrícia Freitas.

E não esqueça: depois de esclarecer suas dúvidas, não deixe de se vacinar!


O que é gripe?
A gripe é uma infecção respiratória aguda causada por vírus e extremamente contagiosa, sendo, portanto, mais grave do que um resfriado comum. Geralmente, ela é transmitida de pessoa para pessoa através de contato, espirros, tosse e até mesmo através de superfícies
contaminadas. Por isso, é importante lavar sempre as mãos antes de contato com os olhos, o nariz e a boca. Se você estiver tossindo ou espirrando, nunca use as mãos para conter as gotículas de saliva. Não compartilhe copos e talheres com outras pessoas mesmo que elas estejam aparentemente saudáveis.

 

Quais são os sinais e sintomas da gripe?

Febre alta, tosse, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, dor de garganta, coriza e mal estar intenso. Em alguns casos, pode ocorrer diarreia e vômitos, quadro mais comuns em crianças.

 

Qual a diferença entre a vacina trivalente e tetravalente?
A principal diferença entre elas é a quantidade de cepas de vírus combatidas por elas. Na  Trivalentes, há duas  Cepas do tipo A (H1N1 + H3N2) e apenas uma Cepa B (Yamagata ou Victória). Na vacina Tetravalentes, como o próprio nome sugere, há quatro cepas de proteção: duas Cepas A (H1N1+ H3N2) e duas Cepas B (Victória e Yamagata).
Desta forma, é sempre mais seguro optar pela tetravalente, que só está disponível nas Clínicas de Vacinação Particulares. A trivalente é disponibilizada gratuitamente nos Postos de Saúde a pacientes com doenças crônicas, crianças até 5 anos, grávidas, puérperas (mulheres que tiveram bebês recentemente) e idosos.

 

Há algum grupo prioritário para receber a Vacina Tetravalente?

As recomendações para as vacinas tetravalentes são as mesmas que aquelas previstas para as vacinas trivalentes. Contudo, é importante lembrar que os grupos de maior risco para as complicações e óbitos por influenza são as crianças de menos de 5 anos, gestantes e idosos com mais de 65 anos.

É preciso fazer a vacina trivalente mais a tetravalente?
Não. Os dois tipos de vacina combatem as mesmas doenças. É preciso escolher uma ou outra. A tetravalente é um pouco mais completa. Importante ressaltar que, se não houver disponibilidade de vacinas tetravalentes em sua cidade, a imunização deve ser feita com a trivalente.

Quais são os sintomas mais comuns depois que se toma a vacina?
Há poucos sintomas associados à aplicação da vacina contra a gripe. A maioria dos pacientes relata uma reação de dor local, podendo haver enjoo e falta de apetite. Pacientes que têm alergia à proteína ovo não pode realizar a vacina. Para evitar surpresas, as enfermeiras geralmente aplicam um questionário sobre o estado de saúde do paciente, histórico de alergias a medicamentos, doenças crônicas e tratamentos médicos em curso.


A vacina contra a Pneumonia  substitui a vacina da gripe?

Não. Quem optar por realizar a vacina Pneumo 13-valente deve estar consciente de que ela protege a pessoa de diversos tipos de pneumonia, mas não tem ação contra a gripe e a Influenza. Neste caso, é preciso fazer duas vacinas: a da pneumonia e outra contra a gripe (trivalente ou tetravalente). Segundo a gerente administrativa da Imunoclin, Patrícia Freitas, não existe contraindicação para realizar as duas vacinas (Pneumo + Gripe) em um mesmo dia. Contudo, alerta que o mais recomendável é fazer primeiro a gripe e, em 15 dias, realizar a pneumonia. Tal procedimento facilita a detecção de possíveis reações adversas.

 

Com informações Imunoclin

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil