RS é pioneiro no combate ao assédio moral

 

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) deu início nesta sexta-feira (28/08) a um movimento pioneiro de combate ao assédio moral e doenças que atingem os integrantes do Poder. O trabalho será realizado por meio da instalação da Comissão de Prevenção e Enfrentamento ao Assédio Moral e Doenças Decorrentes, o que foi oficializado durante solenidade na sede do TJRS. A comissão será presidida pela desembargadora Denise Oliveira Cezar e contará com entidades classistas, entre elas a Associação dos Servidores da Justiça do Estado (ASJ). A comissão ainda será composta por três magistrados, pelo Diretor do Departamento Médico Judiciário e por um representante da Abojeris e do Sindjus.

Segundo o presidente do TJRS, desembargador José Aquino Flôres de Camargo, é fundamental a valorização dos servidores e, neste ponto, é essencial que haja respeito e investimento. “Aqui, com a instalação dessa comissão, começa-se uma nova história e, logo ali adiante, vamos ingressar num novo momento. Precisamos investir muito na nossa gente”, afirmou. A desembargadora Denise lembrou que a criação da comissão era um desejo antigo de "criar um ambiente de conhecimento, de compreensão de limites e, com isso, coibir a ocorrência desse tipo de situação”. A atuação do grupo também foi destacada pelo desembargador Francisco Moesch. 

Em nome da ASJ, o presidente Paulo Olympio ressaltou que, ao instalar a comissão, o Tribunal dá mais uma demonstração de pioneirismo. Na ocasião, ele aproveitou para citar um caso que chegou ao CNJ, que considera emblemático, quando um servidor ofereceu um "copo d'água" a um integrante do Ministério Público e foi ofendido pelo ato de gentileza. "Somos formados por pessoas dignas, tanto servidores como magistrados. Este é um momento muito importante e que só pela sua existência terá como grande resultado a inibição de novas condutas", afirmou Olympio, confiante de que a ação ainda representará ganho para a qualidade de vida dos servidores. O vice-presidente da ASJ, Luís Fernando Alves da Silva, também participou da solenidade.

Uma das primeiras atividades do grupo será a elaboração do seu Regimento Interno. Em seguida, o grupo estará apto a propor políticas institucionais de prevenção e enfrentamento ao assédio moral e doenças dele decorrentes, além de receber e processar os pedidos de providências e reclamações referentes a possíveis situações que venham a ocorrer no Poder Judiciário Estadual.