Conselho do IPE rechaça infomação sobre taxação de dependentes

O vice-presidente do Conselho Deliberativo do IPE, Luís Fernando Alves da Silva, esclarece que, a nota publicada pela jornalista Rosane de Oliveira nesta quinta-feira (03/12), na página 10 do jornal Zero Hora, referente à contribuição (assim descrita) de dependentes do IPE-Saúde teve origem em informações equivocadas. Uma vez que, a exigência de contribuição por parte de dependentes de segurados para o IPE-Saúde não foi aprovada pelo Conselho Deliberativo do IPE – que é o órgão máximo do Instituto. Pelo contrário, relatou Luís Fernando “a ideia partiu da presidência do IPE, que a submeteu à apreciação do Conselho, que a rejeitou. Essa discussão no Conselho transcorreu no período entre julho a setembro/2015, culminando com o indeferimento apresentado na última sessão realizada no dia 30 de setembro. Fomos contrários a medida de onerar ainda mais os segurados com o acréscimo em relação aos seus dependentes”, concluiu.

Cabe ressaltar que, o Conselho do IPE é formado por 12 membros, seis indicados pelo governo do Estado e seis pelas entidades de classe que representam os servidores públicos estaduais. Ao Conselho compete a palavra final sobre as matérias colocadas à apreciação, portanto, qualquer tentativa de alteração no anteprojeto, já aprovado pelo Conselho, está em desacordo com as decisões do Colegiado, constituído de forma democrática e paritária.

 

Texto e foto: Gisele Gonçalves