Conselho do IPE reitera posição contra taxação de dependentes

 

A taxação de dependentes do IPE-Saúde retorna à pauta na matéria publicada pela jornalista Rosane de Oliveira, na página 10 do jornal Zero Hora, desta segunda-feira (07/12). Diferente da nota publicada na semana passada (03/12), o tom adotado, agora é outro. A notícia inicia esclarecendo que, a mudança na legislação do IPE, especificamente no que se refere à cobrança dos dependentes do IPE-Saúde, não foi avalizada pelo Conselho Deliberativo do IPE, e, portanto, não expressa a decisão do órgão máximo do Instituto. Vale destacar que, tal proposta foi rejeitada pelo Colegiado durante sessão realizada no dia 30 de setembro. Mesmo assim, segundo informa a jornalista, o Palácio Piratini deve enviar o projeto modificado à Assembleia Legislativa para que seja votado durante a chamada convocação extraordinária.

Por outro lado, o Conselho apreciou também na data referida acima, entre outras questões de alta relevância, o reingresso de servidor desligado ao plano, aprovando critérios direcionados ao equilíbrio do sistema.

A nota divulgada na imprensa repercutiu ainda na reunião da União Gaúcha em Defesa da Previdência Social e Pública (UG) realizada na manhã de hoje (07/12). Na oportunidade, o vice-presidente do Conselho Deliberativo do IPE e da ASJ, Luís Fernando Alves da Silva fez um relato sobre os contatos com a jornalista Rosane de Oliveira, onde esclareceu que tais informações contidas na matéria estavam equivocadas. Igualmente, reiterou a inconformidade do Conselho, expressa através de nota oficial, com o conteúdo veiculado.

Por sua vez, as entidades que compõem a UG, participantes ativas da formulação do anteprojeto aprovado pelo Conselho, demonstraram apoio, acolhendo a posição do Colegiado.

 

Texto e foto: Gisele Gonçalves