ASJ doa brinquedos a entidades assistenciais

Durante a festa de fim de ano para as crianças, realizada em dezembro na sede Campestre, a ASJ realizou uma campanha para arrecadar doações e fazer o Natal de muitas crianças da comunidade mais feliz. Uma das entidades que foi contemplada com os brinquedos doados foi a Associação Escola de Samba Afrocultural Unidos do Pôr do Sol RS (Afrosol), uma escola de samba comunitária onde ensinam as crianças a tocar instrumentos, dançar, fazer papietagem (técnica que utiliza papel recortado e cola para dar forma a uma escultura ou objeto) e artesanato em Porto Alegre.

A coordenadora da ala de baianas, Leonir Gonçalves Pereira, conta como a entidade começou. “A gente fazia aqueles bailezinhos de bermuda, tocávamos quatro ou cinco instrumentos. Os vizinhos se reuniram e deram os instrumentos pra minha filha, já que ela canta muito bem. E a família toda se envolveu na escola, o meu filho é mestre de bateria, minha neta é a passista, uma das minhas filhas é a porta bandeira e a outra é quem interpreta o samba. Assim a gente foi formando a escola e estamos aí há 15 anos”.

Leonir comenta que muita gente gosta de carnaval, mas que para ajudar e trabalhar junto à entidade são poucos. Diante desta realidade, ela diz ser muito gratificante receber uma doação como a da ASJ. “Pra gente é muito importante porque estamos sempre correndo atrás”, relata. Ela conta que, sempre que podem, ajudam outras entidades também necessitadas. “Esse ano uma entidade que tem menos condições que nós veio pedir ajuda, mas como estávamos em uma situação difícil não poderíamos ajudar, se não fossem essas doações. Agora vamos poder fazer o Natal das Crianças, graças às doações de vocês.”

A diretora da ASJ, Luciane Canella, comenta sobre as arrecadações e sobre como se sentiu ao doar para a Sociedade Cultural Afrosol. “O que me chamou atenção é que eles já estavam desistindo de fazer o Natal das Crianças. E uma coisa que pra nós não teve muito trabalho, vai ajudar crianças que não iam ter Natal. Conseguimos envolver os escoteiros e os associados a doarem, entrando assim no verdadeiro espírito natalino. A lição que levo é que muita gente ajudando e fazendo um pouco, acabou saindo Natal para muitos”.