TJ propõe reajuste de 8,13%

 

Depois de semanas de muita mobilização, a Administração do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) apresentou ao comando de greve dos servidores do Judiciário proposta de reajuste salarial de 8,13% em parcela única em reunião realizada na manhã de quinta-feira (16/7) no Palácio da Justiça, em Porto Alegre. O presidente da ASJ, Paulo Olympio, e a 1ª secretária, Marisa Comin, participaram do encontro.

Além do índice de reajuste, outros dois pontos importantes da pauta dos grevistas foram encaminhados: o presidente do TJRS, desembargador José Aquino Flôres de Camargo, se comprometeu a anistiar o ponto dos servidores que fizeram greve nos anos de 2014 e 2015 e em criar um Grupo de Trabalho formado por membros da Administração e por representantes das entidades de classe para debater outros temas de interesse da categoria.  

Durante a reunião, o presidente da ASJ destacou a atuação das entidades junto à Assembleia Legislativa na tentativa de pressionar por questões de interesse do Judiciário, como a questão da LDO.

Ao fim do encontro, o presidente do TJRS considerou ter sido alcançado o objetivo de harmonizar as relações da Administração com os servidores.

Assim que a reunião chegou ao fim, os dirigentes da ASJ encontraram-se com grupo de servidores em frente ao Palácio da Justiça e repassaram aos colegas a oferta apresentada. A percepção do grupo, conta Olympio, foi de que a proposta é positiva e que contribuiu para a recuperação, mesmo que parcial, das perdas acumuladas.

 

 

Texto: Com informações do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS)

Fotos: Graziele Iaronka