Judiciário reúne milhares de pessoas na Greve Geral

A Associação dos Servidores da Justiça (ASJ) esteve mobilizada nesta sexta-feira (28/4) em adesão à Greve Geral, contra as reformas da Previdência e Trabalhista. Desde o começo da manhã, milhares de servidores estiveram reunidos em um ato em frente ao Foro Trabalhista de Porto Alegre e, posteriormente, seguiram em caminhada até a Esquina Democrática, onde permanecem concentrados. Profissionais de cerca de 50 entidades, como União Gaúcha, Sindijus, Frentas/RS, Sintrajufe/RS, entre outras, paralisaram suas atividades e buscaram dar uma resposta ao governo contra os projetos que tramitam no Congresso.

O presidente da ASJ, Paulo Olympio, explica que a união da categoria em um período de ameaça aos direitos dos trabalhadores é fundamental para que as mudanças possam ser traçadas a favor da população. "Os trabalhadores foram os mais atingidos pelas reformas e precisam dar uma resposta como a que estamos dando com essa Greve Geral. Os atos são importantes também para que os que permaneceram em casa possam refletir sobre as mudanças pelas quais precisam lutar", afirma. "Hoje é um dia emblemático. Paramos a cidade, o Estado e o país."

Para o presidente da Ajuris e da União Gaúcha, Gilberto Schäfer, as reformas que estão em curso representam graves retrocessos. "Não podemos admitir que anos de construção de direitos sejam destruídos por regras que forçam as pessoas a trabalharem e ganharem menos no final de sua vida", salientou, destacando a falta de diálogo por parte do governo com a sociedade. "Queremos a base da Constituição de 88, que é construída por uma sociedade livre, justa e solidária".

Também participaram dos atos o 1º secretário da ASJ, Vitor Luis Polett, e o secretário-geral da ASJ, Paulo Chiamenti, entre outros representantes do Judiciário e entidades de classe. A Greve Geral mobiliza trabalhadores em diversas regiões do país durante todo o dia.